MenuPrincipal

Ushuaia | Trem do fim do mundo (tren del fin del mundo)

O Trem do Fim do Mundo está localizado no Parque Nacional da Terra do Fogo. Antigamente, o trem era usado para transportar os presidiários e lenha. Hoje, só tem a função de contar a história da Patagônia. É como enxergar com os olhos do passado. 

Estação do Fim do Mundo
Reconstruída quase completamente em madeira e mantendo o estilo das tradicionais construções da cidade, a estação Ferrocarril Austral Fueguino, mais conhecida como a Estação do Fim do Mundo, fica a 8 km de Ushuaia, encravada entre o vale Monte Susana e a Montanha Martial.

Estação
Na estação há um museu com fotografias que ilustram a história e também uma loja de souvenir e um bar.


Do lado direito da estação está a bilheteria para compra do ingresso do passeio de trem, que custou AR$ 230 por pessoa e desconto de 10% em uma refeição no restaurante Andino.

Bilheteria
Ingresso e desconto no Andino
Existem cinco locomotivas à vapor funcionando: Camila, adquirida em 1995, Ingeniero Porta, 1994; Ingeniero Muratgia, 1993; Ruston, 1937; Tierra del Fuego, 1999.

Trem chegando na plataforma
O passeio é feito em uma réplica do trem usado há 100 anos. Os vagões são confortáveis, o primeiro deles é reservado para pessoas com necessidades especiais e idosos. As janelas são bem grandes e a calefação é ótima.

Trem do Fim do Mundo
Trem do Fim do Mundo
O passeio dura aproximadamente 1:40h em uma velocidade que não supera 15 km/h, fazendo apenas os últimos 8 quilômetros da rota original, que anteriormente tinha 25 km. Durante o trajeto, pode-se ouvir a história de como Ushuaia foi fundada e construída.

Percorre ao longo do rio Pipo, o qual atravessamos em Puente Quemado até chegar à Estação La Macarena, onde fazemos uma parada para fotografar.

Estação La Macarena
Existe a reconstrução de um assentamento Yámana, uma das tribos indígenas que habitavam a região. Há também a possibilidade de subir até um mirante para observar a vista do Vale do Rio Pipo e a nascente da cascata "La Macarena", na cadeia montanhosa da Le Martial.

História das tribos indígenas
Cascata congelada
Passa também pelos restos de uma velha serraria, rodeia uma turfeira até terminar numa curva entrando em um bosque no Parque Nacional, mostrando as marcas deixadas pelos presos, depois de quase meio século cortando árvores, o desmatamento foi apelidado de cemitério das árvores. 

Cemitério das árvores
Cemitério das árvores
O passeio foi feito no inverno, então a neve transforma a paisagem deixando ainda mais mágico o caminho.

Bosque com neve
Bosque nevado
Mais informações www.trendelfindelmundo.com.ar

Nenhum comentário:

Postar um comentário