Segóvia

Um bate-volta a partir de Madrid até Segóvia demora cerca de 1:16h.
Com as passagens já compradas pela internet, € 10,45 para ir e € 6,36 para voltar, pegamos o ônibus na Estação Moncloa de Ônibus às 9:15h, retornando às 17:15h.
A cidade não é muito grande, pelo menos o Centro com os principais pontos turísticos, então fizemos tudo a pé.
Percebemos que é difícil encontrar uma casa em Segóvia que não esteja decorada com esgrafiado, técnica de revestimento em muros e paredes que embelezam as residências e edifícios da cidade, onde existem mais de 300 desenhos diferentes, de tal modo que cada construção é decorada com motivos geométricos diferentes.

Saindo da rodoviária, fomos andando a caminho do Aqueduto, que seria nossa primeira parada, porém, passamos pela Iglesia de San Millán.

Iglesia de San Millán
Construída no século XII em estilo romântica na área pobre do bairro Mouro, tem três naves e três arcos. É a mais monumental da cidade e uma das mais importantes de toda a região castelhana.
Só vimos ela por fora, tiramos algumas fotos e seguimos o caminho.

Iglesia de S. Clemente
No caminho, mais uma igreja, esta marcada por um semicírculo de três arcos com colunas. Também só tiramos foto por fora.

Igreja de San Andrés
Situada entre as muralhas, a meio caminho entre a catedral e o Alcázar, foi construída no séc. XII e ampliada no XVI. Seu elemento de maior destaque é a torre campanário, culminada por um Chapitel barroco. Seus materiais construtivos, a mamposteria e o tijolo, a enquadram dentro do estilo Românico-Mudéjar. A abóbada principal revela toda sua formosura.

Plaza Del Azoguejo
Esta é uma das praças mais importantes de Segóvia, não só porque tem a parte mais alta do Aqueduto, mas também por ser aqui que acontecia o comércio da periferia.

Loba Capitolina
A reprodução da estátua da deusa Luperca amamentando Romulus e Remus foi doada por Roma para a cidade de Segóvia em 1974, coincidindo com o bimilenário do formidável aqueduto romano. A estátua está localizada precisamente atrás do aqueduto, na Plaza Artilhería ou Plaza Oriental.

Acueducto Romano
Construído durante os séculos séculos I e II d.C. A parte restante do aqueduto tem 29 metros de altura, 728 metros de longitude total, 167 arcos (79 singelos e 88 dobrados). Foram empregados, grosso modo, cerca de 35.000 blocos de granito.
Enfim, depois de ver de tão perto, subimos no Mirador del Acueducto, de onde é possível tirar belas fotos e admirar esta obra.

Plaza Mayor
A praça Maior de Segóvia fica ao lado da catedral. Quando passamos estava tendo feira, não ficamos muito temo ali, mas vimos que tem vários lugares para comer, como bares e restaurantes, além das diversas lojas de lembrancinhas.

Catedral de Segóvia
Conhecida como a Dama das Catedrais, devido às suas dimensões e à sua elegância, é uma catedral de estilo gótico tardo com traços de renascentismo.
Tiramos algumas fotos por fora e até entramos, mas era somente com visita guiada e não podíamos aguardar até o próximo horário.

Alcázar de Segóvia
Palácio fortificado em pedra, erguido em posição dominante sobre um penhasco rochoso na confluência dos rios Eresma e Clamores. É um dos mais distintos castelos-palácios da Espanha em virtude da sua forma – como a proa de um navio. Sua origem data do século 12, sendo que a forma atual surgiu entre os anos de 1410 e 1455.
Durante séculos, foi a residência oficial dos reis de Castela, um dos antigos reinos da Península Ibérica.  Após a mudança da corte para Madri, o Alcázar serviu de prisão e sede da Real Escola de Artilharia. Em 1862, um grande incêndio destruiu grande parte do castelo, e, após a restauração, foi cedido ao Ministério da Guerra para servir de colégio militar e, finalmente, em 1931, foi declarado monumento histórico artístico.
Pelo fato de estar em reforma, não era possível subir na torre, sendo assim, compramos a entrada normal solo palacio, € 5,5, e entrada reducida solo palacio (para maiores de 65 anos), € 3,5.
Compramos as entradas na bilheteria, que fica do lado de fora do castelo, do lado direito de quem chega.
Para vê-lo por inteiro é preciso descer as escadas que se encontram do lado direito da entrada do castelo e caminhar até o gramado.

Meson Don Jimeno
Já havíamos pesquisado sobre este restaurante e lá fomos.
Ele está próximo ao Alcazar de Segvia, na Calle Daoiz, 15, e oferece os pratos tradicionais da cidade.
Chegamos cedo, estava vazio. Escolhemos onde sentar e logo trouxeram o cardápio.
De entrada pedimos exquisito paté de cochinillo con pan tostado, € 6,7.
Os pratos principais foram cuarto de cochinillo asado “especialidad” (serve de 2 a 3 pessoas), € 35,6, e cuarto de cordero lechal asado (serve de 2 a 3 pessoas), € 37. Ambos acompanham batata frita.
As sobremesas foram flan con nata de la casa, € 4,2, ponche segoviano, € 5,6, tarta de Santiago, € 4,1, e nueces con nata y helado, € 4,5.
Ahhh, o que falar desse almoço, além de que voltamos para Madrid rolando?!?! Sim, estava delicioso e comemos muito!!